Iberê Camargo
9 obra(s) encontrada(s)

RS - 1914/ 1994
Pintor, gravador, desenhista, escritor e professor.
1928 - Estudou pintura com Frederico Lobe e Salvador Parlagreco (1871-1953) na Escola de Artes e Ofícios, em Santa Maria, RS.
1936/ 1939 - Fez o curso técnico de arquitetura do Instituto de Belas Artes de Porto Alegre e estudou pintura com Fahrion (1898-1970).
1942 - Mudou-se para o Rio de Janeiro e, com bolsa de estudos concedida pelo governo do Rio Grande do Sul, frequentou a Escola Nacional de Belas Artes - ENBA.
1943 - Estudou com Guignard (1896-1962) e fundou com outros artistas, o Grupo Guignard.
1947 - Recebeu o prêmio de viagem ao exterior e indo para a Europa no ano seguinte. Em Roma, estudou com Giorgio de Chirico (1888 - 1978), Carlos Alberto Petrucci, Antônio Achille e Leone Augusto Rosa, e em Paris, com André Lhote (1885 - 1962). 1950 - Retornou ao Brasil.
1952 - Tornou-se membro da Comissão Nacional de Artes Plásticas.
1953 - Fundou o curso de gravura do Instituto Municipal de Belas Artes do Rio de Janeiro, hoje “Escola de Artes Visuais do Parque Lage”, EAV - Parque Lage.
1954 - Participou com Djanira (1914-1979) e Milton Dacosta (1915-1988), da organização do “Salão Preto e Branco” e, no ano seguinte, do “Salão Miniatura”, ambos realizados em protesto às altas taxas de importação de material artístico. 1960/1965 - Promoveu curso livre de pintura no “Teatro São Pedro”, em Porto Alegre.
1966 - Executou painel de 49 metros quadrados oferecido pelo Brasil à Organização Mundial de Saúde - OMS, em Genebra.
1970 - Lecionou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.
1980 - Executou a tiros um homem que o agrediu na rua e foi absolvido sob o argumento de legítima defesa, mas o episódio marcou profundamente sua vida e sua obra.
1986 - Recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Entre suas publicações, constam o artigo “Tratado sobre Gravura em Metal”, 1964, o livro técnico “A Gravura”, 1992 e o livro de contos “No Andar do Tempo” - 9 contos e um esboço autobiográfico, 1988.
Suas obras o consagraram como o maior pintor brasileiro do final do século XX.