Artista: Estilo: Técnica: Tamanho:

Emanoel Araújo

Bahia - 1940
 
Escultor, desenhista, gravador, cenógrafo, pintor, curador e museólogo.
Descendente da terceira geração de grandes ourives, ainda jovem foi aprendiz de marceneiro do mestre Eufrásio Vargas; aos treze anos trabalhou em linotipia e composição gráfica na Imprensa Oficial do Estado – experiência de grande importância para o domínio da técnica e para a sensibilidade da expressão.
Mudou-se para Salvador para cursar Arquitetura, mas constantes visitas a exposições e museus o fez matricular-se na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia. Fez aulas de gravura com o mestre Henrique Oswald que o queria como seu substituto no ensino universitário.
Foi diretor do Museu de Arte da Bahia de 1981 a 1983. 
Em São Paulo foi diretor da Pinacoteca do Estado (1992 a 2002), recebeu menção honrosa especial da Associação Brasileira de Críticos de Arte (1999), foi curador e diretor do Museu Afro-Brasil e assumiu o cargo de Secretário Municipal de Cultura, o qual renunciou poucos meses depois (2005).
Em Brasília, foi membro convidado da Comissão dos Museus (1995) e do Conselho Federal de Política Cultural (1996), instituídos pelo Ministério da Cultura. 
No período de um ano, a convite do “City College University of New York”, lecionou artes gráficas, desenho, escultura e gravura, onde desenvolveu diversos modos para obter peças gravadas, utilizando superfícies de plástico laminado e fórmica.
Realizou várias exposições individuais e coletivas por todo o Brasil, Europa, Estados Unidos e Japão e recebeu prêmios em todas as técnicas trabalhadas.
Para Emanuel, suas raízes, cidade natal, região tipicamente baiana de infindáveis belezas naturais e suas idéias de representar o mundo à sua volta como a escravidão, a perda da terra para os colonizadores, a presença africana na cultura brasileira e outros tantos fatores foram de suma importância para a execução de seus trabalhos. 
As características de suas obras e sua constante aquisição de vasto conhecimento cultural fez com que suas obras obtivessem o calor e a sensibilidade contidos na população brasileira que nem todos os estrangeiros ou mesmo os próprios brasileiros veem. 
Emanoel Araújo é considerado um extraordinário escultor. Suas obras tridimensionais se destacam pelas grandes dimensões, pelos relevos e pela formas integrantes nas edificações urbanas. Seu estilo único dialoga com movimentos artísticos de toda a história, mas sempre com ênfase nos detalhes que descrevem e valorizam as características africanas. 
 Dedicado à arte e à cultura, liderou uma gigantesca reestruturação na Pinacoteca do Estado de São Paulo, um dos roteiros turísticos culturais da cidade nos anos 90, transformando-a num dos principais museus do país, apto a receber grandes exposições nacionais e internacionais e oferecendo melhor acesso para o público. Essa transformação não se limitou apenas ao espaço físico do edifício, mas ao seu propósito; além de um grande museu, a Pinacoteca é um lugar para quem procura nutrir a mente e o espírito. 

Rua Bahia, 871 - Higienópolis - São Paulo - SP - Brasil - CEP: 01244-001 - Tel: +55 (11) 3661-9595 ou +55 (11) 3825-2409